Tags

Após um longo tempo sem postagens, devido aos projetos do trabalho e viagens =D, de qualquer forma estamos aqui novamente, espero que gostem e Boa leitura !, aguardo comentários.

Obs: Estou escrevendo o curso no próprio Word, ao término disponibilizarei o mesmo em pdf ^^.

PRÉ-REQUISITOS – INSTALAÇÃO

Antes de instalar devemos nos atentar para alguns requisitos básicos, certa triagem que fará você escolher a ferramenta ou não.

Pode ocorrer de alguns antivírus detectarem algo malicioso na instalação do Spiceworks, você pode seguramente ignorar o alerta, pois não há risco algum. Este inconveniente vem sendo tratado com as empresas de antivírus pela própria Spiceworks, da qual hoje o alerta é quase mínimo.

O Spiceworks suporta somente o sistema operacional Windows como servidor, dentre eles estão:

  • Windows XP Professional
  • Windows Vista
  • Windows 7
  • Windows 2003 Server
  • Windows 2008 Server

O hardware necessário para executá-lo não precisa ser grande coisa, exceto se você tem uma grande rede para monitorar e um alto processamento de tickets, os requisitos mínimos são:

  • Processador de 1.0 GHz
  • 1.0 GB de Memória RAM

Para uma instalação que proverá somente serviços de tickets deve considerar somente o processador, pois 1 GB de memória é mais do que suficiente para o sistema operacional e o Spiceworks, isto levando em conta que haverá em torno de 50 tickets por dia.

Os sistemas operacionais que podem ser monitorados e inseridos ao inventário são:

  • Todos da família Microsoft Windows®, exceto Windows 98*
  • Unix/Linux/*BSD
  • Mac OS X

Para que o Spiceworks descubra sistemas não Microsoft e dispositivos de rede, os mesmos devem estar com o SSH habilitado ou SNMP (versões 1 e 2) ativado com uma comunidade disponível para leitura (public, por exemplo).

O Spiceworks também pode unicamente monitorar um serviço Microsoft, o Exchange Server 2003 ou superior, porém o mesmo não será descrito aqui, mas como dito anteriormente, a comunidade é muito ativa e facilmente responderá suas dúvidas, além da documentação existente.

O envio de alertas por e-mail seja ele relacionado ao monitoramento ou serviço de ticket, aceita somente servidores com autenticação para o envio, com os protocolos IMAP, POP E SMTP, além do Exchange Server para o envio.

* Windows 98 era reconhecido no começo, porém diversos erros na falta de funcionalidades, o mesmo não é mais suportado.

INSTALAÇÂO

A instalação será em cima do Windows 7, porém recomendo a instalação em um Windows Server em ambientes de produção, o instalador pode ser encontrado na página principal ou neste link.

Como premissa básica, verifique se você é o administrador do sistema para que a instalação ocorra normalmente.

Inicie o instalador selecionando o executável “Spiceworks.exe” e verás a primeira tela como na figura 1, da qual perguntará qual a porta que o mesmo iniciará seu servidor Web (Apache), caso tenha algum outro serviço na porta padrão (80), altere-a.

Figura 1 - Definição da porta Spiceworks

Após a escolha da porta avance com a instalação e aceite o termo, após somente aponte o caminho do qual o Spiceworks será instalado, por segurança sempre instale em uma partição separada da raiz (C:).

A instalação é rápida não demora 5 minutos, após o término deixe a opção “Run Spiceworks now” para iniciar o mesmo como na figura 2 ou caso queira inicie manualmente com o ícone Spiceworks em sua área de trabalho.

Figura 2 - Iniciando o Spiceworks

Para sua maior comodidade altere o Spiceworks para iniciar como um serviço do Windows, assim não é necessário fazer logon no sistema toda vez para iniciar o mesmo, para tal selecione com o botão direito o ícone do Spiceworks que fica ao lado do relógio do Windows, após selecione o item “Preferences”, marque as opções como na figura 3.

Figura 3 - Spiceworks como serviço

Caso queira modificar a porta de conexão do Spiceworks, pode fazê-lo por aqui ou através do arquivo de configuração, mostrado mais a frente, lembrando que o mesmo aceita HTTPS.

A estrutura de diretórios do programa é simples, segue a mesma na figura 4 abaixo:

Figura 4 - Estrutura de diretórios

O próprio nome do diretório já diz o que cada um contém, mas vamos aos detalhes:

  • BIN – Contém os executáveis do programa e as bibliotecas necessárias para o banco (SQLite) e Ruby (Linguagem da qual Spiceworks é feito).

  • DATA – Contém os dados dos uploads feito pelos usuários do Helpdesk e Inventário, além dos plugins externos instalados no Spiceworks.

  • DB – Como o próprio nome diz, é o local onde está guardado o banco de dados do Spiceworks, lembre-se de copiá-lo e o diretório data para o backup dos dados, caso seja feito manualmente.

  • HTTPD – Diretório do servidor Web da aplicação, o apache verdadeiramente falando, para administradores familiarizados reconhecerás a estrutura de diretórios assim como os arquivos de configuração do mesmo.

  • LIB e PKG– Local onde ficam as bibliotecas e dependências do Ruby.

  • LOG ­– Nada mais nada menos que os logs do Software, muito útil para o troubleshooting.

  • TEMP – Local dos temporários enquanto o mesmo está sendo executado.

Assim que iniciar o Spiceworks pela primeira vez, será mostrado um formulário a ser preenchido com as informações mínimas para a criação do usuário administrador, preencha-o conforme a figura 5.

Figura 5 - Conta inicial

Após responda se quer iniciar pelo Inventário ou Helpdesk e caso queira assista uma demonstração do produto em vídeo (inglês), após caso escolheu a opção Inventário recuse o scan em toda a rede (faremos mais a frente, caso queira), ao fim terá a tela inicial do Spiceworks.

Para finalizarmos a instalação, você pode entender melhor como o software inicia analisando os logs, e também principalmente o arquivo de configuração do Apache, localizado em “C:\Program Files\Spiceworks\httpd\conf\httpd.conf”, após a inserção de dados visto mais a frente, analisaremos a pasta data da qual monta a estrutura de tickets e seus arquivos em anexos, por isso é sempre importante o backup deste diretório.

Anúncios