Caro(s) irei publicar como meu primeiro post, algumas dicas que já me ajudaram muito nesse mundo de TI, aproveito a oportunidade para agradecer meu amigo Heitor pelo convite e pela confiança armazenada.

Abaixo irei publicar algumas dicas de Linux e HPUX que já salvaram minha pele inúmeras vezes, e espero que ajudem vocês também.

1) Adicionar rota em modo permanente

Primeiramente vamos exibir as rotas do Servidor

[root@apollo ~]# ip route show
192.168.0.0/24 dev eth0  proto kernel  scope link  src 192.168.0.18
172.17.70.0/24 dev eth1  proto kernel  scope link  src 172.17.70.23
169.254.0.0/16 dev eth1  scope link

Adicionando a rota – Criar o arquivo route-ethX( aonde X é a nossa placa de rede em questão), em “/etc/sysconfig/network-scripts/”

[root@apollo ~]# vi /etc/sysconfig/network-scripts/route-eth0
10.107.177.0/24 via 172.17.70.30

Reniciar o serviço de rede

#service network restart

Verificar as novas rotas

[root@apollo ~]# route –n
10.107.177.0/24 via 172.17.70.30 dev eth1
192.168.0.0/24 dev eth0  proto kernel  scope link  src 192.168.0.18
172.17.70.0/24 dev eth1  proto kernel  scope link  src 172.17.70.23
169.254.0.0/16 dev eth1  scope link

2) Deixar o servico SNMP em listen no Debian

Para que o SNMP funcione no Debian e faça LISTENER, nas outras interfaces (além da 127.0.0.1-localhost), é necessário alterar o seguintes parâmetros em

/etc/default/snmpd

Alterar

SNMPDOPTS='-Lsd -Lf /dev/null -p /var/run/snmpd.pid <strong>localhost</strong>

Para


SNMPDOPTS='-Lsd -Lf /dev/null -u snmp -I -smux -p /var/run/snmpd.pid <strong></strong>

3) Para verificar as LUNS que o SO enxerga com seus respectivos WWN e device files (/dev/dsk/cXtYdZ)

# powermt display dev=all |more

4) Para verificar as controladoras de fc no HPUX

 # ioscan –fnC fc

5) Para verificar os WWN das controladoras do servidor

 # fcmsutil /dev/fcXX ( este especial file vira do resultado do comando ioscan –fnC fc)

6)Para verificar espaço livre no VG

 #vgdisplay –v <em>nome do vg</em>

7) Para adicionar um disco no VG (Nota :se o disco a ser acrescentado for maior do que o primeiro disco que criou o VG, o novo disco terá somente o tamanho do primeiro disco do VG disponível para ser utilizado. Daí o porque deve se analisar o tamanho da LUN a ser criada. E melhor que seja do tamanho dos discos que fazem parte do VG em questão)

 # vgextend /dev/vgXX /dev/dsk/cXdYtZ

8) Para criar um lvol com distribute  (formatação física)

 # lvcreate –L <em>tamanho em MB</em> –D y –s g –n <em>nome do lv</em> /dev/vgXX

9) Para criar um lvol sem distribute (formatação física)

# lvcreate –L <em>tamanho em MB</em> –n <em>nome do lv</em> /dev/vgXX

Na CRIACAO/FORMATACAO de um file system (formatação lógica)

 # newfs –F vxfs –o large files /dev/rvgXX/lv_XX (aqui tem o r de caracter mesmo)

10)Na EXTENCAO de um file system já existente, SEM a perda dos dados (extensão/formatação física)

# lvextend –L <em>novo tamanho em MB</em> /dev/vgXX/lv_XX

11) Na EXTENSÃO de um file system já existente, SEM a perda dos dados (extensão/formatação lógica)

 # extendfs –F vxfs /dev/vgXX/lv_XX

Abraços,

Bruno Macagnani

Anúncios